Preocupado com 'novo Tolima', Tite não escolhe adversário nas oitavas - Tupi Martim

Resumo

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Preocupado com 'novo Tolima', Tite não escolhe adversário nas oitavas

Quarta, 27 de Junho de 2018

Nesta quarta-feira (27), às 15h, o Brasil enfrenta a Sérvia em confronto decisivo no Grupo E da Copa do Mundo. Em caso de derrota, a Seleção Brasileira pode ser eliminada na primeira fase do Mundial, algo que não acontece desde 1966. Chegar com expectativas muito grandes e falhar logo na primeira fase é algo que Tite conhece muito bem.

Em 2011, o Corinthians chegava à fase preliminar com um time que contava com estrelas como Roberto Carlos e Ronaldo e comandado pelo técnico que hoje está à frente da Seleção, porém foi eliminado precocemente pelo colombiano Tolima. Apesar de acreditar que o time canarinho hoje está mais preparado que o Timão naquela época, o treinador não descarta um novo insucesso.

"Todas as situações são possíveis. Com uma diferença, eu já estou há dois anos e pouco com essa equipe. Quando acabou o jogo, eu me orgulhei. Eles ganharam mantendo o padrão aos 50 do segundo tempo. Aquilo que eu não tinha contra o Tolima, hoje eu tenho forte na Seleção. Mas pode ser", afirmou Tite em entrevista coletiva nesta terça-feira.  

Quando entrar em campo, a Seleção Brasileira já irá saber quem serão os possíveis adversários nas oitavas de final, já que o Grupo F será decidido às 11h. Preocupado apenas em garantir a classificação, Tite garantiu que o time canarinho não vai escolher adversário e fugir de um possível confronto contra a Alemanha.

"Nós não podemos pensar nisso. A construção dessas campanhas são de equipes que se fortalecem nessa situação. Eu não estou tranquilo, eu estou numa expectativa muito alta. O adversário que vier, que venha. Desde que a gente mereça passar", garantiu o treinador.

O treinador também comentou o choro de Neymar e lembrou de um episódio em sua estreia na Seleção Brasileira para defender o camisa 10.

"No primeiro jogo contra o Equador, eu chorei quando acabou o jogo. Chorei de alegria e satisfação. Chorei porque é nossa característica emocional. Chorei de prazer e orgulho, de tanta pressão que nós tínhamos. 

Eu tenho muito cuidado em assumir as situações. Razão e emoção têm que estar de formas equilibradas. Há o momento do gelo, da calma, da lucidez, de manter padrão. 

Aos 91, você fazer um gol da equipe que está acostumada a jogar, isso é manter padrão. E a pressão era muito grande. Nesse quesito emocional, fiquei muito contente. É uma responsabilidade muito grande e nós temos consciência. Não podemos achar que um momento de emoção, que o técnico também teve, possa ser sinônimo de equilíbrio", afirmou o treinador.

Além disso, o técnico cofirmou que a Seleção Brasileira vai para o duelo contra a Sérvia com a mesma equipe que atuou contra Suíça e Costa Rica.

Confira as declarações de Tite na entrevista coletiva desta terça-feira (26):

Como é enfrentar o time mais alto da Copa

"Tem a característica sim de bola aérea ofensiva, mas tem a característica técnic individual da escola sérvia. Nós temos a condição de poder neutralizar de que forma for. Evitar situações de faltas laterais e poder tirar proveito de alguma situação que ela possa beneficiar. Se eles têm uma altura maior, eles perdem em alguma outra coisa."

Aproveitamento ruim nas finalizações

"Um dos motivos que eu fiquei feliz foi porque das 23 finalizações que a gente fez, 10 foram no gol. Por isso que a gente venceu, a gente botou o Navas para trabalhar. Se você olharem o gol, o Navas amplia a área de ação dele e a bola passa no meio das pernas dele. É um percentual bom de aproveitamento. Nossa seleção é a segunda que mais finaliza."

Emocional preocupa em jogo decisivo?

"Os capitães se constroem no transcurso do campeonato. No primeiro jogo contra o Equador, eu chorei quando acabou o jogo. Chorei de alegria e satisfação. Chorei porque é nossa característica emocional. Chorei de prazer e orgulho, de tanta pressão que nós tínhamos. 

Eu tenho muito cuidado em assumir as situações. Razão e emoção têm que estar de formas equilibradas. Há o momento do gelo, da calma, da lucidez, de manter padrão. Aos 91, você fazer um gol da equipe que está acostumada a jogar, isso é manter padrão. E a pressão era muito grande. Nesse quesito emocional, fiquei muito contente. É uma responsabilidade muito grande e nós temos consciência. Não podemos achar que um momento de emoção, que o técnico também teve, possa ser sinônimo de equilíbrio."

Ausência do Douglas Costa

"Nós precisamos dos atletas nas melhores condições e ele foi extremamente importante. Às vezes você precisa de um jogador com uma característica diferente. Infelicidade. Ele é um jogador de aceleração, enfrentamento. Nosos número de acelerações foi 25% maior em relação à Suíça. Talvez isso tenha influenciado a situação."

Evolução do Neymar

"O Neymar só está nesse estágio porque ele é um jogador fora dos padrões normais fisicamente. A participação dele contra a Costa Rica aumentou consideravelmente. Talvez daqui a mais um jogo ele esteja em sua plenitude. Não mas não vamos dar a ele uma responsabilidade excessiva de sucesso ou insucesso."

Pênalti sobre Neymar anulado pelo VAR

"Foi pênalti. O árbitro estava a cinco metros de distância."

Administrar a situação de jogadores que têm cartão

"Temos um jogo decisivo. A nossa continuidade depende fundamentalmente desse jogo."

Apoio da torcida

"O carinho do torcedor é uma coisa inigualável. Só quem está aqui sabe como esse carinho nos acalenta. A gente sabe na proporção exata a nossa responsabilidade. Quando vem esse carinho, nos fortalece. O Canarinho é uma figura, ele tem um carisma próprio."

A Sérvia pode ser um novo Tolima?

"Todas as situações são possíveis. Com uma diferença, eu já estou há dois anos e pouco com essa equipe. Quando acabou o jogo, eu me orgulhei. Eles ganharam mantendo o padrão aos 50 do segundo tempo. Aquilo que eu não tinha contra o Tolima, hoje eu tenho forte na Seleção. Mas pode ser."

Brasil vai escolher adversário?

"Nós não podemos pensar nisso. A construção dessas campanhas são de equipes que se fortalecem nessa situação. Eu não estou tranquilo, eu estou numa expectativa muito alta. O adversário que vier, que venha. Desde que a gente mereça passar."

O que está passando pela cabeça do Tite?

"Quando eu olho para trás e vejo toda trajetória, os momentos que nós estivemos juntos, a construção dessa campanha isso me geera confiança. Essa equipe já está calejada o suficiente para jogos importantes."

Desempenho de Paulinho e Willian

"Eles têm condições de crescer. A equipe vai se harmonizando e se consolidando. Olha a trajetória e como eles foram consistentes e decisivos."

Informações: Jornal Destak 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular

Pages